Agile Brazil 2010 – Introdução a programação Extrema (XP)

Extra oficialmente o Agile Brazil 2010 começou hoje!

Como todo bom evento de ótimos palestrantes, o Agile Brazil iniciou para mim a algum tempo atrás com  a publicação da programação, que tentava nos ajudar com suas trilhas relacionadas a familiaridade o expertise dos participantes… mas para mim não ajudou muito!! Acontece que neste nosso cenário, de grandes massas de informações lançadas em blogs muitas vezes sem a responsabilidade do concreto funcionamento, boas palestras mesmo que básicas são sempre desejáveis; entregues em mãos apropriadas, 45 minutos podem tirar o seu chão e construí-lo de uma forma totalmente nova e isso espero do Agile Brazil 2010. Nesta hora a experiência e a abertura dos palestrantes fará toda diferença.

Ví um formato nada convencional que chamou minha atenção e com alguns contatos escolhi o primeiro curso que iria participar no evento. Grade boa, bons e muitos instrutores e um convite traga o seu  notebook pois iremos implementar algo em um universo extremo… só podia ser bem interessante.

XP - AgileBrazil2010

O curso de Introdução a programação Extrema foi iniciado às 10:00h do dia 2206, com o Bruno Pedroso, Dairton Bassi, Daniel Wildt, Giovanni Bassi, Hugo Corbucci e Renato Willi contando um pouco sobre a trajetória de suas carreiras. Neste ponto surgiu um elemento que faria parte de boa parte do evento o POMODORO TIMER, como existia um vasto assunto a ser explorado e uma bagagem ainda maior de exemplos, causos entre outras coisas do domínio dos nossos 6 instrutores, mas havia um caminho a ser seguido para atingir todo o conteúdo esperado, foram definidos tomatos para cada tema e foi cada um por sí até que o mesmo soou pela primeira vez e começamos a nossa imersão no XP.

O nosso segundo tomato levantou a expectativa do grupo para o curso, neste momento foi aberto um espaço para que todos pudessem transferir para o seus post-its que foram posteriormente agrupados por semelhanças e defendidos perante a turma no sentido dos quais seriam atendidos e em que nível seriam atendidos.

O terceiro tomato focou em apresentar chaos report e como o XP trabalha as culturas das equipes para focarmos em atingir a parcela de software que realmente será utilizado.  Neste contexto o Daniel colocou um exemplo bem interessante que removeu da cabeça de alguns essa idéia mal entendida da primeira versão do XP, que tratava o código acima das pessoas e do respeito. Agilidade e XP esperam simplicidade, mas também respeito, e a combinação destes é contra porquisses. Você não vai criar algo tão simples que desrespeite  sua equipe, seu software e seu cliente. “Simplicidade é a arte de maximizar o que não é feito”.  Retirar gordura é desejável, mas o produto deve obter o respeito de todos, inclusive o seu!

Alguns tomates consecutivos exploraram a história, o ciclo de vida do XP, princípios, valores e práticas e ao fim foram realizadas para o período da manhã um prática teórica e cultural focada no relacionamento e aplicação dos conceitos aprendidos, para a criação de um caixa eletrônico. Como de costume vários times falharam na execução, estando uma parte do time envolvido pelas práticas e outros não, algo bem comum em nosso dia-a-dia. Já no termino da tarde foi realizada uma sessão de desenvolvimento pareado sobre um problema simples de conversão numerica para escrita dos números em inglês, realizada em grupo.

XP - Agile Brazil 2010

XP - Agile Brazil 2010

O curso foi aprendizado continuo regado de experiência que nos levaram a ter mais ATITUDE, fortaleceram nossa COMUNICAÇÃO trabalhando em EQUIPE e continuamente melhorando!! Valeu!!